Home Sócios Acadêmicos

DILER TRINDADE

Produtor cinematográfico e fundador da Diler & Associados, produtora
de audiovisual que aposta na diversidade, desenvolvendo projetos com diferentes enfoques, utilizando pesquisas qualitativas e fazendo um rigoroso estudo de viabilidade. Diler foi eleito, em 2004, pela Variety (revista norte-americana especializada em cinema) um dos 10 produtores mais promissores do mundo dos filmes.

Desde o início da Diler & Associados, em 1999, produziu “Xuxa Requebra”, com direção de Tizuka Yamasaki; “Xuxa Pop Star“, dirigido por Paulo Sérgio Almeida e Tizuka Yamasaki; as cinebiografias de “Nelson Gonçalves” e de “Zico”, ambos os longas dirigidos por Elizeu Ewald; “Xuxa e os Duendes”, direção de Paulo Sérgio Almeida e Rogério Gomes; “Xuxa e os Duendes 2 – no caminho das Fadas”, também com a direção de Paulo Sérgio Almeida
e Rogério Gomes.

Em 2003, bateu o recorde nacional de produção, com 5 filmes em um ano: “Dom”, adaptação de Dom Casmurro, de Machado de Assis, com direção de Moacyr Góes; “Didi, O Cupido Trapalhão” (1.800 mil espectadores), com direção de Paulo Aragão e Alexandre Boury; “Maria, Mãe do Filho de Deus” (2.400 mil espectadores), com direção de Moacyr Góes, que dirigiu, em seguida, “Xuxa em Abracadabra” (1.300 mil espectadores); e “Um Show de Verão”, com Angélica e Luciano Huck, também dirigido por Moacyr Góes.
Ainda em 2003, a Diler & Associados, atingiu 30% de market share do cinema nacional. Seus 5 filmes totalizaram 6,5 milhões de espectadores, enquanto toda a produção brasileira, neste ano, levou 22 milhões aos cinemas.

Em 2004, produziu “Didi Quer Ser Criança”, dirigido por Alexandre Boury e Reynaldo Boury; “Irmãos de Fé”, com Padre Marcelo Rossi, e ainda
“Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida”, ambos dirigidos por Moacyr Góes; além de iniciar a produção do seu primeiro longa-metragem de animação, “Xuxinha e Guto Contra os Monstros do Espaço”, dirigido por Clewerson Saremba e Moacyr Góes, lançado em dezembro de 2005.

Em 2005, produziu “Coisa de Mulher”, comédia dirigida por Eliana Fonseca, em parceria inédita com o SBT Filmes; e “Didi, o Caçador de Tesouros”, dirigido por Marcus Figueiredo, lançado janeiro de 2006.

Em 2006, voltou a produzir, novamente, 5 filmes no mesmo ano. “A Máquina”, longa de estreia de João Falcão,” Trair e Coçar é só Começar”, adaptação da peça homônima, dirigido por Moacyr Góes; “Xuxa Gêmeas”, com direção de Jorge Fernando; “O Cavaleiro Didi e a Princesa Lili”, 47º longa de Renato Aragão, com direção de Marcus Figueiredo; e “Fica Comigo Esta Noite”, adaptação da peça homônima de Flavio de Souza, dirigido por João Falcão, lançado em outubro de 2006.

De 2007 para cá, produziu o seu segundo longa-metragem de animação, “A Turma da Mônica em Uma Aventura no Tempo”, com direção de Mauricio de Sousa; “Juízo”, documentário de Maria Augusta Ramos, sobre menores infratores; “Um Lobisomem na Amazônia”, um Terrir de Ivan Cardoso; “Destino”, primeira coprodução entre o Brasil e China, dirigido por Moacyr Góes, projeto que inclui um filme de longa-metragem e uma minissérie de TV; produziu a adaptação da obra de Nelson Rodrigues, “Bonitinha Mas Ordinária”, dirigido por Moacyr Góes; o 48º longa-metragem de Renato Aragão, “O Guerreiro Didi e a Ninja Lili”, direção de Marcus Figueiredo; “Uma Professora Muito Maluquinha”, adaptação da obra literária homônima, de Ziraldo, dirigida por André Pinto e Cesar Rodrigues; e ainda, “Meus dois Amores”, em coprodução com a Globo Filmes, direção de Luiz Henrique Rios e baseado no conto ‘Corpo Fechado’, da obra ‘Sagarana’, de João Guimarães Rosa.

No início da carreira, antes da Diler & Associados, ele produziu “Super Xuxa contra Baixo Astral”, com direção de Anna Penido e David Sonnenschein; “Lua de Cristal”, dirigido por Tizuka Yamasaki; “Gaúcho Negro”, dirigido por Jessel Buss; “Inspetor Faustão e o Mallandro”, dirigido por Mário Márcio Bandarra; e “Sonho de Verão”, com direção de Paulo Sérgio Almeida.

São 35 longas, com mais de 30 milhões de espectadores nos cinemas.