Home GP 2011

Edição – 2011

Release e Vencedores

Em noite marcada por muito humor e emoção, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro consagrou “Gonzaga – De Pai para Filho” como melhor filme do ano de 2012. Indicado em 15 categorias, o filme de Breno Silveira ganhou cinco prêmios: Melhor Som, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Diretor, Melhor Ator e o principal, Melhor Longa-Metragem. “Heleno” faturou quatro prêmios, seguido por “2 Coelhos”, “Raul – O início, o fim e o meio”, e “Febre do Rato” que levaram três Troféus Grande Otelo cada um. Dira Paes e Julio Andrade ganharam os prêmios de Melhor Atriz por “À Beira do Caminho” e Melhor Ator por “Gonzaga – De Pai para Filho”. Emocionados, eles agradeceram Breno Silveira, diretor dos dois filmes, pelos personagens. Grande ausência da noite, o diretor não compareceu à cerimônia, pois está participando de um festival em Madri. “Breno Silveira é meu pé de coelho!”, brincou Dira ao fim do discurso. Júlio, por sua vez, cantou um trecho da música “E Vamos à Luta” de Gonzaguinha, personagem que lhe rendeu o prêmio, e arrancou aplausos da plateia.

Nas categorias com votação aberta ao público, “Febre do Rato” levou o prêmio de Melhor Longa-Metragem de Ficção. Os filmes “Raul – O início, o fim e o meio” e “Intocáveis” são unanimidade: conquistaram, respectivamente, os prêmios de Melhor Longa-Metragem Documentário e Melhor Longa-Metragem Estrangeiro tanto na votação do público quanto dos membros da Academia.

Como o tema deste ano destacava a importância das comédias para o cinema nacional, a cerimônia foi apresentada pelos atores Letícia Isnard, Antônio Fragoso e Érico Brás, que interpretaram Dercy Gonçalves, Oscarito e Grande Otelo respectivamente. Maior premiação do cinema nacional, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro teve mais uma vez a direção artística de Ivan Sugahara, com cenografia de Nello Marrense e iluminação de Paulo César Medeiros. O evento foi realizado nesta quarta-feira, dia 13, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.

Um dos momentos mais emocionantes da noite ficou reservado para o encerramento da festa. Aos 92 anos, Ruth de Souza foi homenageada pela Academia Brasileira de Cinema. Chamada ao palco após a exibição de uma cena do filme “Sinhá Moça”, a atriz, mesmo com a voz embargada, revelou que gostaria de voltar aos sets de filmagens. “Eu já fiz muito filmes, mas quero fazer mais… e quero você na direção Roberto!”, disse brincando com Roberto Farias, presidente da Academia e seu diretor em “O Assalto ao Trem Pagador” (1962). Dona Ruth foi ainda reverenciada por um grupo de jovens atores negros que subiram ao palco para celebrar junto a atriz negra considerada pioneira no teatro, no cinema e na televisão. Entre eles, Lázaro Ramos, Maria Ceiça, Camila, Rocco e Antonio Pitanga, Juliana Alves, André Ramiro e outros.

Fotos

Vencedores da edição 2013

MELHOR LONGA–METRAGEM DE FICÇÃO:
GONZAGA – DE PAI PARA FILHO de Breno Silveira. Produção: Breno Silveira, Eliana Soárez por Conspiração Filmes e Marcia Braga por D+ filmes

MELHOR LONGA–METRAGEM DOCUMENTÁRIO:
RAUL – O INÍCIO, O FIM E O MEIO de Walter Carvalho. Produção: Denis Feijão por Elixir Entretenimento e Alain Fresnot por A.F Cinema e Vídeo

MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL:
PEIXONAUTA – AGENTE SECRETO DA O.S.T.R.A de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo. Produção: Célia Catunda, Kiko Mistrorigo e Ricardo Rozzino por TV PinGuim

MELHOR LONGA-METRAGEM ANIMAÇÃO:
BRICHOS 2 – A FLORESTA É NOSSA de Paulo Munhoz. Produção: Daniella Michelena e Paulo Munhoz por Tecnokena

MELHOR DIREÇÃO:
BRENO SILVEIRA por Gonzaga – De pai para filho

MELHOR ATRIZ:
DIRA PAES como Rosa por À beira do caminho

MELHOR ATOR:
JÚLIO ANDRADE como Gonzaguinha 35/40 anos por Gonzaga de pai para filho

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE:
ÂNGELA LEAL como Dona Marieta por Febre do Rato
LEANDRA LEAL como Silvia por Boca

MELHOR ATOR COADJUVANTE:
CLAUDIO CAVALCANTI como Dr. Ismael por Astro, uma fábula urbana em um Rio de Janeiro mágico.
JOÃO MIGUEL como Miguelzinho por Gonzaga de pai para filho

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA:
WALTER CARVALHO por Heleno

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE:
CASSIO AMARANTE, ABC por Xingu
DANIEL FLAKSMAN por Corações Sujos
MARLISE STORCHI por Heleno

MELHOR FIGURINO:
RITA MURTINHO por Heleno

MELHOR MAQUIAGEM:
MARTÍN MARCÍAS TRUJILLO por Heleno

MELHOR EFEITO VISUAL:
CARLOS FAIA, GUS MARTINEZ E XICO DE DEUS por 2 Coelhos

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL:
HILTON LACERDA por Febre do Rato

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO:
DAVID FRANÇA MENDES por Corações sujos. Adaptado da obra “Corações Sujos” de FernandoMorais

MELHOR MONTAGEM DE FICÇÃO:
AFONSO POYART, ANDRÉ TOLEDO E LUCAS GONZAGA por 2 Coelhos

MELHOR MONTAGEM DE DOCUMENTÁRIO:
PABLO RIBEIRO por Raul – o início, o fim e o meio

MELHOR SOM:
ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR.; EDUARDO VIRMOND LIMA, RENATO CALAÇA E VALÉRIA FERRO por Gonzaga de pai para filho

MELHOR TRILHA SONORA:
PAULO JOBIM por A música segundo Tom Jobim

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL:
ANDRÉ ABUJAMRA E MARCIO NIGRO por 2 Coelhos

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO:
LAURA, dirigido por Thiago Valente

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO:
ELOGIO DA GRAÇA, dirigido por Joel Pizzini

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO:
CABEÇA DE PAPELÃO, dirigido por QuiáRodrigues

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO:
INTOCÁVEIS (Intouchables, ficção, França) – dirigido por Olivier Nakache e Eric Toledano. Distribuição: California Filmes

Voto Popular

MELHOR LONGA–METRAGEM DE FICÇÃO:
FEBRE DO RATO de Claudio Assis. Produção: Claudio Assis por Parabólica e Julia Moraes por Belavista.

MELHOR LONGA–METRAGEM DOCUMENTÁRIO:
RAUL – O INÍCIO, O FIM E O MEIO de Walter Carvalho. Produção: Denis Feijão por Elixir Entretenimento e Alain Fresnot por A.F Cinema e Vídeo

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO:
INTOCÁVEIS (Intouchables, ficção, França) – dirigido por Olivier Nakache e Eric Toledano. Distribuição: California Filmes