CINEMATECA BRASILEIRA

“Quando obras cinematográficas desaparecem, a perda é enorme. De início, perdemos um pedaço importante da nossa memória cultural, já que o valor de um filme, com o correr dos anos, muitas vezes ultrapassa a qualidade artística que porventura tenha tido na época em que foi feito, e passa a ser também um importante instrumento de nossa história e nossa identidade cultural”.

As palavras de Myrna Silveira Brandão, do Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro, sintetizam a importância da preservação dos filmes. Estima-se que mais de 90% de toda a produção brasileira do período silencioso, por exemplo, tenha se perdido para sempre.

Completando 70 anos em 2017, a Cinemateca Brasileira tem realizado um trabalho sistemático, consistente e absolutamente essencial para a preservação e restauração dos filmes brasileiros.

A origem da Cinemateca Brasileira remonta à criação, em 7 de outubro de 1946, do Segundo Clube de Cinema de São Paulo, que nasceu com o objetivo de estimular o estudo, a defesa e o desenvolvimento da arte cinematográfica no Brasil. Em setembro de 1947, por intermédio de Paulo Emílio Salles Gomes – nome fundamental da crítica, da historiografia e da luta pela preservação de filmes no país –, o Segundo Clube se filiou à Federação Internacional dos Clubes de Cinema.

Em março de 1949, o recém-criado Museu de Arte Moderna de São Paulo e o Clube estabeleceram um acordo para criação da Filmoteca do MAM-SP. Em 1954, Paulo Emílio assumiu a direção da Filmoteca como conservador-chefe, e, dois anos depois, em busca de maior autonomia, a Filmoteca se desligou do Museu de Arte Moderna para se transformar na Cinemateca Brasileira.

Em 1988, a prefeiturade São Paulo cedeu à instituição o espaço do antigo matadouro da cidade, na Vila Clementino, onde, após nove anos de reformas, se instalou a sede da Cinemateca Brasileira. Entre momentos de crise e dificuldade e outros de extrema produtividade, a Cinemateca Brasileira tem desenvolvido um trabalho contínuo e profícuo pela preservação da memória cinematográfica do Brasil.

Seja um associado

Seja sócio da Academia Brasileira de Cinema e participe da votação e da cerimônia de premiação mais importante do Cinema Brasileiro.