RAFAEL PRIMOT

Ator, diretor e roteirista.

No cinema, dirigiu longas como Todo Clichê do Amor, Gata Velha Ainda Mia, e os curtas Manual Para Atropelar Cachorro, Doce Amargo entre outros. 

Lançou seu primeiro longa-metragem Gata Velha Ainda Mia em maio de 2014recebendo ótimas críticas no país e fora dele (**** VEJA/SP). O filme esteve em Los Angeles, Miami, Nova York, Londres, Montevidéo e Buenos Aires e permaneceu 5 semanas em cartaz em São Paulo. 

Em 2018 lançou seu segundo longa-metragem como diretor e roteirista, no qual também atua, chamado “Todo Clichê do Amor”, em co-produção com o Canal Brasil com Débora Falabella, Marjorie Estiano, Maria Luiza Mendonça, João Baldasserini encabeçando o elenco. 

Na televisão, participou de algumas novelas e minisséries como Hebe (personagem Manoel Carlos), Aruanas, Sessão de Terapia,  As Cariocas, Tapas e Beijos, Deus Salve o Rei, O Astro, A Lei do Amor.  

Em 2009 estreou no Teatro Imprensa a peça “O Livro dos Monstros Guardados”, que lhe rendeu um Prêmio Shell de Melhor Autor, APCA e Premio da Cooperativa Paulista de Teatro. Em 2011 lançou o livro que deu origem a peça. 

Em 2012 a peça como autor “Um Sonho pra Dois” entrou em temporada nacional e também em turnê por Portugal. 

Em 2014 estreia na Oi Futuro Flamengo a peça Uma Vida Boa, de grande repercussão nacional. Foi indicado a diversos prêmios como autor do espetáculo com destaque para o Prêmio Cesgranrio e APTR/RJ. 

Em 2018/2019 dirigiu a peça de grande sucesso de público “Os Guardas do Taj”, estrelada pelos atores Reynaldo Gianecchini e Ricardo Tozzi com estréia em Lisboa e depois em turnê nacional e internacional. 

Está em produção atualmente da série “Chuva Negra”, seriado do Canal Brasil onde atua, dirige e escreve.   

Ele assina o roteiro de “Ó Paí Ó 2”, ao lado da diretora Monique Gardenberg, que teve partes filmadas em Salvador e o roteiro Reencontro sobre oficinas bolivianas clandestinas na grande São Paulo (PopCon). 

No teatro tem uma sólida carreira, tendo sido indicado ao Prêmio Shell, Prêmio CesgranRio, APTR, Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro. E no cinema, recebeu cerca de 27 prêmios em festivais nacionais e internacionais como ator, diretor e/ou roteirista. 

Primot vem desenvolvendo uma constante e sólida carreira como realizador, sendo apontado pelo Estado de S.Paulo (Caderno 2/Ubiratan Brasil) como “criador incansável, um dos artistas mais promissores e atuantes de sua geração” tendo como foco de seus trabalhos e estudos em especial as relações humanas contemporâneas e o universo feminino. 



Seja um associado

Seja sócio da Academia Brasileira de Cinema e participe da votação e da cerimônia de premiação mais importante do Cinema Brasileiro.