Bruno Torres

Ator e cineasta, Bruno Torres trabalhou em mais de 50 filmes em funções distintas. Produziu, roteirizou e dirigiu os curtas metragens O ÚLTIMO RAIO DE SOLA NOITE POR TESTEMUNHA e ENCONTRO DAS ÁGUAS, que juntos conquistaram mais de 100 prêmios em festivais de cinema do Brasil e do exterior.Foi produtor do curta metragem MEU AMIGO NIETZSCHE, de Fáuston da Silva, que conquistou os prêmios “Audience Award” e “Fernand Raynoud”, ambos no Internacional Film Festival Clermont-Ferrand, o mais conceituado festival de curtas metragens do mundo.No início de sua carreira como produtor e diretor, conquistou o respeitado prêmio SIGNIS OCIC, por seu trabalho de direção no curta metragem O ÚLTIMO RAIO DE SOL

Pelo sucesso de bilheteria SOMOS TÃO JOVENS, de Antônio Carlos da Fontoura, Bruno Torres foi finalista na categoria de melhor ator coadjuvante no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, o mais importante prêmio do segmento no país.
Foi finalista também no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro pelo curta O ÚLTIMO RAIO DE SOL, na categoria de melhor curta metragem brasileiro do ano.

Pelo longa metragem O HOMEM MAU DORME BEM, conquistou os prêmios de melhor ator coadjuvante no 42Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e no XIV CINE- PE.

Como ator, além dos filmes já citados, os principais destaques são ENTRANDO NUMA ROUBADA, de André Moraes, SAL DE PRATA, de Carlos Gerbase, NO CORAÇÃO DOS DEUSES, de Geraldo Moraes, SAGRADO CORAÇÃO (prêmio de melhor ator no 45Festival de Brasília do Cinema Brasileiro), de Cauê Brandão, HEREDITÁRIO (prêmio de melhor ator no IV Curta Canoa), de Johil Carvalho e Sérgio Lacerda, OXIGÊNIO, de Pedro Zimmerman, e BIO – CONSTRUINDO UMA VIDA, de Carlos Gerbase.

Na televisão, interpretou o personagem Valdir na novela INSENSATO CORAÇÃO, de Gilberto Braga, e o personagem Caco, na série DUPLA IDENTIDADE, de Glória Perez, ambas produzidas pela Rede Globo. 

Além de sua estreita relação com arte e cultura, Bruno Torres sempre esteve envolvido com trabalhos sociais e ambientais. Em 2020, se tornou o primeiro ator e cineasta brasileiro a compensar o carbono de todas as suas atividades profissionais e pessoais, através das empresas Ecooar, Sustainable Carbon e Iniciativa Verde.

Em 2022, estará envolvido com o lançamento no circuito comercial do seu primeiro longa metragem como diretor A ESPERA DE LIZ , e que pelo qual também é ator principal e assina a produção e o roteiro. A finalização do longa A PELE MORTA, com co-direção de Denise Moraes. 

Será produtor e roteirista da série documental A SUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER, para o Canal Futura (a ser realizada com recursos do PRODAV 02). Estreará em salas de cinema com os filmes CAMPUS SANTO, de Márcio Curi, O HOMEM CORDIAL, de Iberê Carvalho, INFINITAS TERRAS, de Cauê Brandão e MANUAL DO HERÓI, de Faustón da Silva. E por fim, atuará como protagonista no longa NÃO VOLTE PARA CASA, de Roberto Burd.