Jom Tob Azulay

Jom Tob Azulay é cineasta e diplomata. Natural do Rio de Janeiro. Produtor de Um Homem e o Cinema de Alberto Cavalcanti (1975). Diretor e Produtor dos longas-metragens Os Doces Bárbaros (1978, selecionado entre os 100 Melhores Documentários Brasileiros, ABRACCINE), Corações a Mil (1983), O Judeu (Melhor Filme– Festival de Brasília 1995). Produtor-delegado de coproduções afro-ibero-americanas, como O Estorvo de Ruy Guerra (1998).
De 1999 a 2002, trabalha em televisões públicas (TVE e Multi-Rio) como diretor de programas e documentários, quando também leciona cinema na Universidade Estácio de Sá.
De 2002 a 2007, é Superintendente de Assuntos Estratégicos da Agência Nacional do Cinema – ANCINE, fazendo parte do grupo fundador da Agência sob a gestão de Gustavo Dahl.
Em 2007, dirige a série (14 DVDs) I Conferência Nacional de Política Internacional para a Fundação Alexandre de Gusmão do MRE.
Examinador da tese Filmar no Brasila atuação do Itamaraty para o Curso de Altos Estudos do Instituto Rio Branco do MRE.
Autor do capítulo Por uma Política Cultural para o Século 21em A Indústria Cinematográfica Mundial (Encontro Editorial – SP, 2004).
Em 2009, é produtor e diretor-geral da minissérie Cinco Vezes Machado, baseada em contos de Machado de Assis, coprodução Canal Brasil.
Atualmente dedica-se à produção de nova coprodução com Portugal, em coprodução com a GLOBOFILMES, intitulada Cartas Bahianas, baseada em cartas de família do primeiro quartel do sec. 19 tendo como pano de fundo as guerras da Independência do Brasil.