Renata Almeida

Formada em Rádio e Televisão pela FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado). Teve especialização em cinema e documentário pela The New School, em Nova York, cursado em 1988 e 1999 Estudou teatro e trabalhou como atriz. Também trabalhou como produtora de elenco/ figuração em cinema.

Renata de Almeida é diretora da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. É responsável desde 1990 pela seleção de filmes, programação e produção do evento. Também é responsável pela elaboração das oficinas, palestras e debates. Trabalha nestas funções desde 1990.

Distribuidora – sócia das empresas Mais Filmes e da distribuidora Filmes da Mostra Foi exibidora – ex-sócia da empresa Circuito Cinearte que conta com mais de 50 salas de cinema em todo Brasil. com salas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba.

Co-dirigiu o curta-metragem “Volte Sempre Abbas” e um episódio do longa “Bem-vindo a São Paulo” que produziu pela Mostra Internacional de Cinema. O curta “Volte Sempre Abbas” foi selecionado para o 56° Festival de Veneza de 1999.

No quadro da Mostra Internacional de Cinema também desenvolveu um trabalho editorial. A Mostra publicou os livros “Gabriel Figueroa – O Mestre do Olhar” e “ “Aleksander Sokúrov” (2002), 0 lançou “À Espera do Tempo – Filmando com Akira Kurosawa, de Teruyo Nogami (Cosac Naify), o “Scorsese”, de Richard Schickel; “Tarkóvski Instantâneos” e “Manoel de Oliveira”entre outros.

Dentro do quadro da Mostra Internacional de Cinema também organiza exposições em conjunto com meseus. Em 2012 em conjunto com o MASP organizou a exposição das poloróides do cineasta Andrei Tarkóvski e em 2010 a exposição de fotografias do cineásta Wim Wenders. Em 2011

Produziu o curta-metragem “Do Visível ao Invisível”, dirigido pelo mestre português Manoel de Oliveira, que foi convidado para abrir o 65o Festival de Veneza em 2008.

Este curta é parte integrante do longa-metragem “Mundo Invisível” que tem a participação de nomes consagrados como Atom Egoyan, Theo Angelopoulos, Wim Wenders, Gianvittorio Baldi, Marco Becchis, Maria de Medeiros e Jerzy Stuhr, entre outros.

Em maio de 2010 o coproduzido pela Mostra Internacional de Cinema “O Estranho Caso de Angélica”, com direção de Manoel de Oliveira, foi o filme de abertura da seção Un Certain Regard do Festival de Cannes.

Na televisão desde meados de 2010 até 2014 foi apresentadora, curadora e roteirista do programa da Mostra na Cultura

Em 2011, ganhou o Prêmio Governador do Estado, na categoria principal de Destaque Cultural, outorgado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, e o Prêmio Especial da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), no início de 2012.

Em 2017 foi agraciada pelo governo francês com a insigna de Chevalier de L’Ordre National du Mérite.